Hakuna Matata


R.I.P. Hakuna

Este era o meu espaço, aquele onde eu podia escrever o que queria, não as coisas mais importantes ou as mais essenciais mas as que no momento me apetecia. 

Há muito que esta espaço deixou de servir o propósito para que foi criado. Há muito que este blog é conhecido por gente de mais. Pessoas que acham que podem comentar o que aqui se passa fora deste espaço, que podem ler este espaço achando que me conhecem ou que podem navegar dentro da minha cabeça e do meu coração conforme lhes apetece. Assim, estes textos passaram a ser censurados, passaram a ficar para todo o sempre na caixa de rascunhos.

Hoje, decidi que chega.

A todos aqueles que por aqui passavam e que gostavam de o fazer, espero que nos encontremos por aí num outro cantinho da blogosfera.

Adeus e obrigada pelos carinhos que me foram entregando quer pela caixa de comentários quer num encontro casual num qualquer lanço de escadas.

“I have not been home since you left long ago
I’m thumbing my way back to heaven
Counting steps, walking backwards on the road
I’m counting my way back to heaven
I can’t be free with what’s locked inside of me
If there was a key, you took it in your hand
There’s no wrong or right, but i’m sure there’s good and bad
The questions linger overhead
No matter how cold the winter, there’s a springtime ahead
I’m thumbing my way back to heaven”


Temporada de confusões.

Temporada de semanas sem internet por incompetência da PT.

Temporada marcada por desanimo e tentativas frustradas de compreender o que me rodeia.

Temporada marcada por pessoas que partem antes de terem chegado e por outras que nunca chegam a partir, marcada por pessoas que disseram que nunca partiriam e ainda assim foram sem olhar para trás. 

Temporada marcada por cenas de stalker.

Temporada marcada por muitas dúvidas e dificuldades em continuar a acreditar que o mundo tem as cores com que eu o pintei e não aquelas que os outros me dizem que são as certas.


2010 começou com betadine no pé

Esta noite rendi-me às convenções. Por muito que não goste de festas de passagem de ano (que não gosto), esta foi uma passagem de ano que de certeza não vou esquecer. O ano de 2009 foi mau, o de 2008 já não tinha sido nada, mas mesmo nada famoso. Acho que esta noite cumpri uma espécie de ritual de exorcismo, é altura de deixar os fantasmas irem, é altura de começar coisas boas pelos motivos certos, é altura de ser verdadeira comigo, altura de pensar em quem me tornei e em quem realmente quero ser. Não tomei estas decisões depois da meia noite, claro. E talvez por isso, na altura em que foi anunciado que um novo ano tinha começado senti-me livre como não me sentia há muito. Achei que já era mais que altura de voltar a abrir pistas de danças (e nunca deveria ter deixado de o fazer), os gin-tónicos começaram a vir ter-me às mãos (não sei como, juro!), mais uns brindes de ano novo, mais uns shots, uns abracinhos de bom ano, mais uns shots, mais uns brindes, mais umas voltinhas na pista e pronto, quando vim para casa já era dia, os sapatos novos (uma estupidez sapatos novos para dançar, mas eu ia só beber um copo!!!), deixaram os meus pés uma miséria e por isso hoje, primeiro dia do ano, estive a besuntar o meu pé de princesa com betadine. E pensei: “este betadine é sinal que ontem foste feliz e te divertiste como não acontecia há demasiado tempo”. Pela parte que me toca, em pulgas para descobrir o que vem aí! Bom 2010 para todos!

Nota: no momento em que decidi fazer um “comboio” e apanhar todos os conhecidos e desconhecidos que encontrei percebi que estava curada de muita coisa má… Alleluia!!!


A precisar de mais uma pós…

É que não percebi mesmo esta tirada….

Então, a Sonae aprova uma reportagem da SIC em que dizem que “enganam” o coitado do consumidor obrigando-o a passar em todos os corredores para ele comprar o que não precisa?

E o peixinho fresco afinal tem 36 horas de morte?

E até os jornais estão colocados de forma a incentivar a compra?

3 horas de aula com o Pedro Díonisio não teria sido tão esclarecedor… E agora que toda a gente ficou a saber disto… Queimam-se os livros e inventam-se novas técnicas até amanhã?!


Este blog anda nas ruas da amargura (ou melhor, do abandono). Eu tinha mesmo muitas intenções de o actualizar… Mas o dia de hoje foi boring, boring e vou ter que me estupidificar a ver a Fox. Gostava que fosse diferente, gostava de não desiludir os meus 2,5 fãs regulares, mas não vai dar mesmo. Estaá a dar a Bones e na Bones aparece o Both e eu tenho um fraquinho por ele desde o tempo em que ele era Angel.

Mas prometem-se fotografias dos 118 (ou quase) museus de Madrid para breve.


Roteiros

Madrid tem 118 museus!!!!!!


Anõezinhos, precisam-se!

Última tarefa do guruzinho do marketing:

  • Montar;
  • Etiquetar;
  • Enviar;

Exactamente 3000 caixinhas que serão usadas num DM.

Tenho 3 ajudantes, estamos todos rotos  de fazer caixas em série, sempre na mesma posição e a fazer os mesmos gestos. Fizemos 1500. Já só faltam outras 1500.


Que ele coma a Paris é uma coisa, agora….

É que se há pessoa que não me incomoda é o Ronaldo.

Não me incomoda, joga futebol, parece que joga muito bem, é pago por isso mesmo. Ganha fortunas, azar, é a lei da oferta e da procura, soubesse eu chutar a bola e teria a mesma sorte. Expressa-se pouco e mal, mas meus senhores, o homem não é doutorado em línguas, o coitado estudou pouco, e nas escolas públicas portuguesas, queriam o quê? A família do homem é completamente pindérica? Mas a maioria dos tugas não é assim?, a tender para o excesso de peso, de base, de extensões, e de maneirismos de novo rico? O gajo come gajas? Pois come, não é jovem e saudável? Era suposto ele ficar em casa ao Sábado à noite a ver o Disney Chanel? As gajas que come são de gosto duvidoso? Pois claro que são, afinal, o que andaria uma gaja hiper gira e interessante a fazer com ele? Iam falar do quê? Fazer o quê? O homem gosta delas com bastante rodagem, olha, é sinal que não tem paciência para andar a ensinar o que fazer com as bolas, perdão, bola, perdão, coisas, whatever!

Mas vamos ao que interessa…

Que o Ronaldo não me incomode é uma coisa mas… Só eu é que achei estranho todo aquele destaque do CR a cantar no Jornal da Noite, na Sic, uma coisa desafinada em “portanhol”, e logo no intervalo seguinte passa a nova publicidade do BES onde se vê a mesma cantoria?

Será que estou a ver pontes onde não existem e tudo não passou de uma coincidência?


Ah!

Ah, sim, quase me esquecia.

Como último apontamento gostaria de deixar aqui expresso que isto de manter um blog activo é mais que boa vontade… É mesmo uma carga de trabalhos.

Senhores cientistas, meus queridos, para quando um cabo usb que liga à minha orelha e faz descer até ao PC todos os pensamentos maravilhosos, todas as filosofias verdadeiramente inspiradoras, todas as piadas de senso de humor irrepreensível, até ao monitor onde agora aparecem estas letrinhas? Hum? Não seria bem mais fácil para todos? Não seria? Há muitos prémios Nobel para distribuir, vá, esforcem-se!


Às vezes estamos nas palavras dos outros, não nas nossas.

“[…]Sou imatura e irresponsável, não vou à missa, mostro as pernas (abro-te as pernas) e faço beicinho para que sejas meu. Para de ti dispôr como quiser, vens ou ficas, vais ou vens-te. […]

[…]Sou egoísta, esporádica, imódica, e às vezes até asmática. Falta-me o ar quando me ignoras, arremelgo os olhos e arquejo, não tenho culpa, é uma doença, uma condição que me definha, tragam-me a bomba por favor. Morro se me viras as costas, se não me telefonas, se não me envias bonecos tontos que se rebolam a rir quando a ocasião pediria apenas um breve sorriso contido. Morro e olha, eu não brinco com estas coisas, vou parar-me já o coração. Escuta, ainda bate, o parvo, o teimoso: já te disse que às vezes te adoro?”

Fica o excerto daquele que é, muito provavelmente, o meu blog preferidoum amor atrevido


Seguir

Get every new post delivered to your Inbox.